Na próxima quarta-feira, dia 12, Sport e Joinville se enfrentam pela quarta fase da Copa do Brasil, na Ilha do Retiro. Será um duelo entre equipes distintas, com orçamentos opostos, mas com o mesmo objetivo.

O JEC, saboreando este inédito momento na competição, terá como adversário alguém habituado ao principal mata-mata do Brasil, campeão em 2008 contra o Corinthians. Até hoje, em cinco duelos entre as equipes em Recife, são cinco vitórias dos pernambucanos contra os joinvilenses.

  • Time descansado 

Por ordem da diretoria, o Sport está jogando o Estadual com os suplentes. Os titulares disputam a Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e Copa do Nordeste. No ano, o Leão da Ilha contabiliza 24 jogos, com 14 vitórias, seis empates e apenas três derrotas.

Na Copa do Brasil são quatro vitórias em quatro jogos. Após eliminar o CSA, fora de casa, na primeira rodada por 4 a 1, o time pernambucano venceu o Sete de Setembro/MS por 3 a 0 e o Boa Vista, na última fase, com 3 a 0 na ida e 1 a 0 no Rio de Janeiro.

O desenho do time que enfrentará o Joinville é o mesmo que atropelou o Danúbio-URU na última semana pela Copa Sul-Americana. Com um show individual de Diego Souza, o rubro-negro – sem sustos – venceu por 3 a 0.

 

  • A força da Ilha do Retiro

Em casa, o Sport não perde desde 16 de novembro do ano passado, quando foi derrotado pelo Cruzeiro por 1 a 0, com Diego Souza desperdiçando uma penalidade na segunda etapa. Desde então são 13 jogos, com 12 vitórias e três empates.

Diante do seu torcedor, o rubro-negro não sofreu gols em sete dos 12 jogos do ano. Para o duelo desta quarta, 15 mil torcedores são esperados na Ilha.

Consolidado, o Leão está na semifinal da Copa do Nordeste. Após eliminar a Campinense nas penalidades, a equipe enfrentará o Santa Cruz, no próximo dia 26. Já no estadual, a vitória sobre o Central, no final de semana, fora de casa, por 3 a 1, garantiu a segunda colocação. O adversário na semifinal será Náutico ou Santa Cruz com a disputa já no próximo domingo.

Foto: Gustavo Granata

Foto: Gustavo Granata

  • O fator treinador

Após iniciar a temporada com Daniel Paulista, o Sport resolveu mudar o comando técnico e contratou o experiente Ney Franco, que contabiliza três vitórias em cinco jogos pelo Leão.

A chegada do Ney Franco foi de suma importância para as pretensões na temporada. Mesmo com os bons números do Daniel Paulista, as atuações não eram boas, principalmente em clássicos. Com a chegada do Ney o time ganhou em confiança. Os treinos também são mais específicos e mais duros. O time vem jogando melhor. – Felipe Holanda, setorista do Sport no Jornal do Commercio.

O Sport desde a chegada do Ney Franco mudou da água para o vinho. Melhor disciplinado e com uma postura mais firme. Diego Souza com o antigo técnico jogava como meia de armação, agora ele joga na ponta direita. Rogério na ponta esquerda. É um time que vai dar muito trabalho para o Joinville. – Allan Pereira, setorista do Sport pela rádio Transamérica.

Para o duelo desta quarta, o treinador não terá grandes desfalques. Com apenas Neto Moura e Marquinhos na fase de transição, todos os outros titulares estão à disposição para o duelo contra o JEC. Em 2017, foram sete contratações: Raul Prata, Rodrigo, Mena, Paulo Henrique, Leandro Pereira, André e Marquinhos.

sport 1004

  • Os destaques individuais

O Sport é repleto por diversos destaques individuais, consolidados nas últimas temporadas em Recife. No gol, Magrão é titular desde 2005. Na lateral direita, Samuel Xavier foi um dos melhores da posição na última Série A. No meio campo, Rithely ganhou projeção nacional e se tornou fundamental no rubro-negro.

Principal jogador da equipe, Diego Souza dispensa comentários. Principal finalizador e artilheiro do último Brasileirão, o jogador da Seleção Brasileira acumula 44 gols pelo Sport nos últimos três anos.

Renê, negociado com o Flamengo, foi uma da única baixa para este ano. A novidade é o jovem Fabrício, recém promovido das categorias de base que auxilia muito na marcação e também tem um bom aproveitamento em chutes de longa distância.

  • Provável: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Mena; Rithely, Fabrício e Everton Felipe; Diego Souza, André e Rogério.

Trata-se de um 4-1-4-1 com Rithely (veja o vídeo abaixo) entre as linhas e André como centroavante. É um time que pode alternar para um 4-3-3 no momento defensivo. Entretanto, a força ofensiva se reflete nos números. Na atual temporada, o Sport marcou gols em 22 dos 23 jogos que disputou.

Share on Facebook27Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0