O blog se debruçou nas campanhas das últimas cinco temporadas da Série C, tentando entender o aproveitamento necessário para obter o êxito e alcançar a segunda fase da competição. Considerando as campanhas vitoriosas desde 2012, é possível fazer um levantamento sobre o desempenho dos clubes levantando aspectos básicos.

  • O melhor e o pior

O Fortaleza, com 39 pontos, em 2012, foi a melhor equipe no período. A equipe cearense, porém, mesmo com a vantagem, não conseguiu o acesso pois perdeu nas quartas de final. Diferente de Icasa e Paysandu, que no mesmo ano se classificaram com 24 pontos na primeira fase e garantiram a vaga após a vitória no mata-mata.

  • Qual é grupo é pior?

Regionalizada, a Série C possui dois grupos dividindo as equipes. Desde 2012, o grupo B – com os clubes da região sul, sudeste e centro-oeste – possui uma leve vantagem. São 11 acessos contra nove do grupo A.

Nos últimos dois anos, seis dos oito times que ascenderam à Série B vieram do grupo do Joinville.

taça serie c 2304

  • Média de pontos

O primeiro colocado – levando em consideração o desempenho dos grupos A e B – precisa fazer 34 pontos, com média de 62% de aproveitamento na fase inicial. Já o quarto colocado, o último que se garante no mata-mata, precisa de 28 pontos, com 51%.

  • O primeiro

Para garantir a liderança do grupo, a equipe precisará de um desempenho excepcional em casa, podendo perder alguns jogos fora. Segundo a média, com 81% (7v, 1e, 1d) em casa e 44% (4v, 5d) fora, o time conseguirá o primeiro lugar no seu grupo.

  • O quarto

Se quiser garantir a última vaga dentro do grupo, um clube precisará ir bem em casa, mesmo oscilando fora. Segundo a média, com 74% (6v, 2e, 1d) em casa e 29% (2v, 2e, 5d) fora, a equipe conseguirá garantir a última vaga para o mata-mata.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0